Simpa, CMS, Cores Saúde, Aserghc e CMD pedem providências contra terceirizações em reunião com secretário de Saúde

Reunião com Mauro Sparta, SMS (Foto: Mariana Mattos/Simpa)

 

Em reunião realizada, nesta quinta-feira (23), com o secretário municipal de Saúde, Mauro Sparta e sua equipe, o Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), Conselho Municipal de Saúde (CMS), Cores Saúde, Associação dos Servidores do GHC (Aserghc), Conselho Municipal Distrital (CMD), vereador Jonas Reis (PT) e representação do vereador Leonel Radde denunciaram o desrespeito com que mais de 200 servidores e servidoras estão sendo tratados pela prefeitura de Porto Alegre durante o processo de relotação nas unidades básicas de saúde e pediram providências. Na oportunidade, as entidades apresentaram inúmeros prejuízos das terceirizações no SUS e o secretário agendou nova reunião para responder às perguntas.

 

Reunião com Mauro Sparta, SMS (Foto: Mariana Mattos/Simpa)

 

Implementadas sem debate algum com a comunidade, as terceirizações na Saúde avançam em Porto Alegre, sendo 87% as unidades de saúde já entregues à iniciativa privada. Isso representa que a maioria da Atenção Primária, que é a porta de entrada do SUS e onde exige-se cuidado, prevenção e acolhimento, opera, hoje, em uma lógica mercadorizada, precarizada e com alta rotatividade de profissionais.

 

Reunião com Mauro Sparta, SMS (Foto: Mariana Mattos/Simpa)

 

“Estão na Constituição Federal os princípios da Atenção básica no SUS. Para o cuidado acontecer, profissionais e usuários precisam de vínculo. Atenção básica foi criada para promover a saúde. Hoje, temos gestão dos contratos ao invés da vida”, apontou Tiana Brum de Jesus, representante do CMS.

 

Reunião com Mauro Sparta, SMS (Foto: Mariana Mattos/Simpa)

 

O diretor do Simpa, João Ezequiel da Silva, apresentou alguns relatos feitos pelos servidores e servidoras em que eles afirmam que a gestão terceirizada dos postos de saúde está os impedindo de atenderem, deixando-os dentro de uma sala sem fazer nada o dia inteiro ou na rua. Ele também questiona a falta de transparência com que a SMS está opera as relotações. “Vimos que as inscrições para o remanejamento estão sendo feitas por formulários do Google e Whatsapp e não está aberto o Sistema SEI, comunicação oficial da prefeitura.

 

Reunião com Mauro Sparta, SMS (Foto: Mariana Mattos/Simpa)

 

Além disso, o governo Melo está extrapolando o caráter complementar da terceirização no SUS, ignorando a legislação, não acatando as resoluções tiradas na última Conferência Municipal de Saúde e avançando com a saga privatista por cima das instâncias de controle. “Será que vocês não se dão conta desse tipo de violência que estão submetendo a população?”, perguntou Alberto Terres, representante do Cores Saúde.

 

Reunião com Mauro Sparta, SMS (Foto: Mariana Mattos/Simpa)

Depois de 2h de argumentação dos defensores da saúde pública, a equipe do secretário afirmou que irá conversar com todos os servidores e servidoras no local de trabalho, entre hoje e amanhã, e que um comunicado oficial será enviado a todos pelo e-mail da prefeitura. Lamentavelmente, o secretário Mauro Sparta se retirou da reunião, antes que pudesse responder os questionamentos. Por isso, uma nova agenda vai ser marcada para que ele apresente respostas às muitas perguntas.

 

GALERIA DE FOTOS COMPLETA:

 

Leia também: 

Mais notícias

Vereadores da base do governo Melo votam pelo desmonte da participação popular na Educação

O prefeito Sebastião Melo (MDB) conseguiu aprovar, através de 22…

Simpa chama mobilização urgente em defesa do Conselho Municipal de Saúde

Todos na Câmara para pressionar contra a votação do PLC…

Após análise jurídica, Simpa solicita reunião com o governo para tratar do Decreto 21.569

Diante do Decreto 21.569, de julho de 2022, que institui…

AGENDA

TV SIMPA