Sem acordo no Judiciário, Educação de Porto Alegre delibera greve pela vida

slider 2021 46

Em assembleia geral realizada na noite dessa segunda-feira (03/5), a categoria das trabalhadoras e trabalhadores em educação da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre deliberou Greve Pela Vida, a partir do dia 07 de maio, como medida contra o retorno presencial das aulas. O Simpa e servidores empenharam diversos movimentos e tentativas de diálogo com o governo municipal, com exposição dos riscos de retorno da presencialidade, que foram desconsiderados pelo prefeito, Sebastião Melo e pela Secretaria Municipal de Educação.

 

A assembleia contou com mais de 500 participantes. Uma nova assembleia ficou convocada para a sexta-feira à noite que deliberará a continuidade das ações de mobilização.

 

No campo jurídico, o Simpa protocolou petição na 1ª Vara da Fazenda Pública, pedindo a manutenção da liminar que suspendeu as aulas presenciais, sem prejuízo da continuidade da conciliação estabelecida pela Justiça. Na primeira reunião de conciliação no Tribunal de Justiça do RS (TJ-RS), realizada na manhã dessa segunda-feira (03/5), os governo estadual e municipal foram intransigentes na determinação da manutenção do retorno presencial. Também participaram a reunião, as entidades proponentes das ações que geraram as liminares (Simpa, Cpers/Sindicato, Sinpro/RS e Associação de Mães e Pais pela Democracia) e o Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS).

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

 

Audiência de conciliação sobre suspensão das aulas termina sem solução; nova reunião acontece dia 5

 

Mais notícias

COMBATE AO ASSÉDIO