Contra o PL 20/19, Simpa e Atempa chamam categoria a lutar pela garantia da posse das direções eleitas

Plenária da educação chamada pelo Simpa e pela Atempa, realizada na noite desta quarta-feira, 27/11, na sede do Sindicato, reafirmou o compromisso das entidades com a luta contra o PL 20/19, que altera as eleições para as direções das escolas, comprometendo o princípio da gestão democrática garantido pela Lei 7365/93.

 

Para tanto, ficou definida a continuidade e o fortalecimento da mobilização para o acompanhamento da tramitação do projeto, que deverá ser votado já na próxima segunda-feira, 02/12.

 

Durante a plenária, as entidades definiram insígnia “Pela garantia da posse das direções eleitas!” como mote central de sua ação política contra o projeto de Marchezan e estão chamando a categoria municipária, em especial as comunidades escolares e as direções eleitas, para comparecer na Câmara no dia 02/12 a fim de acompanhar a discussão do PL. O vereador Professor Alex Fraga (PSol) esteve presente na plenária, informando sobre as emendas que ele apresentará ao PL. Também estiveram presentes representações do CME, das escolas e das direções eleitas.

 

Por tramitar em regime de urgência,  o PL pode ser votado a qualquer momento. Ontem não ocorreu devido ao isolamento da área no entorno do TRF-4 – que inclui a Câmara – para o julgamento do ex-presidente Lula.

 

Representantes das entidades estiveram de plantão hoje na casa legislativa acompanhando a tramitação, mas a matéria não entrou nem na sessão ordinária nem na extraordinária. Portanto, provavelmente estará na pauta da segunda-feira.

 

LEIA TAMBÉM:

Audiência expõe caráter nocivo do PL 20/19 para a educação e a gestão democrática

 

Mais notícias

Smed não preza pela vida de trabalhadores e das comunidades que tem fome!

A incompetência é uma das principais marcas da Secretaria Municipal…

Autoritarismo na gestão da FASC e COVID-19

A Pedido publicado na edição do dia 02/04/2020 - Diário…

Para servidor, “vista grossa” para o assédio moral evidencia política de Marchezan

Falta um ano e oito meses para o auditor de…