Categoria municipária rechaça proposta de acordo extrajudicial do governo

Em assembleia geral realizada ontem, 05/9, na sede do Simpa, a categoria municipária rejeitou, por unanimidade, a proposta de acordo extrajudicial apresentada pelo governo municipal para reaver juros e correção monetária com o parcelamento dos salários em 2017 e 2018.

 

A categoria não aceitará proposta feita pelo prefeito enquanto ele não abrir o diálogo com a direção do Simpa para tratar das pautas dos servidores e da reposição da inflação, negada há três anos, que já chega a 12,6%.

 

Para a direção do Sindicato, esta é uma proposta mínima em relação a todos os ataques que o prefeito promove aos servidores e servidoras, cotidianamente. Por exemplo, o governo Marchezan não recebe a direção do Simpa há mais de dois anos para negociar, e, ao mesmo tempo, adota uma política de parcelamento de salários e retirada de direitos e perseguição à classe trabalhadora.

 

O acordo extrajudicial proposto pelo governo se refere às ações judiciais do Simpa que tramitam na 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre e cobram valores referentes à atualização monetária e aos juros decorrentes do parcelamento de salários do funcionalismo nos anos de 2017 e 2018. A proposta da Prefeitura era efetuar o pagamento até 31 de janeiro de 2020, com correção monetária, pelo índice do IPCAE, e juros de mora nos índices oficiais de remuneração da poupança. Com isso, as ações do Sindicato seguem tramitando na Justiça.

 

 

Leia também: Categoria aprova moção de repúdio à censura praticada pela presidente da Câmara de Vereadores de Porto Alegre

Mais notícias

TJ-RS nega extinção da Licença-prêmio da Lei Orgânica

Mais um direito assegurado à categoria municipária. Foi acatada pelo…

Nota do Simpa sobre a extinção do Imesf

O descaso e a irresponsabilidade da gestão Marchezan estão escrevendo…

Simpa busca, na Justiça, barrar o caos nos serviços essenciais

Foto: Priscila Lobregatte/Simpa As mudanças impostas…