Smed retira direito de representação dos trabalhadores em educação

Foto: Silvia Fernandes

A direção do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) e da Associação dos Trabalhadores em Educação do Município de Porto Alegre (Atempa) estiveram no gabinete da Secretaria Municipal de Educação (Smed), na manhã dessa segunda-feira (01/10), para protocolar ofício e exigir audiência com o secretário, Adriano Naves de Brito, para tratar do ato arbitrário que retirou as horas de representação dos diretores da Atempa. É mais um ataque do governo Marchezan a toda a categoria.

No final da tarde da última sexta-feira (28/9), a Smed encaminhou ofício à associação, informando a retirada da carga horária parcial e relotação dos diretores da entidade, que deveriam se apresentar nos novos locais de trabalho nesta segunda-feira. A medida é vista como uma punição da Smed aos representantes e uma violência que ataca toda a categoria.

Os dirigentes foram acompanhados da assessoria jurídica do Simpa/Atempa, que destacou as irregularidades no procedimento adotado pela Smed e pediu a suspensão do ato até a reunião com o secretário, marcada para a próxima quinta-feira (04/10), às 10h.

– A determinação, imposta pelo secretário desrespeita o estatuto dos servidores e o direito à organização sindical e associativista da categoria;

– O ofício encaminhado pela Smed no dia 28/9 não estava acompanhado do anexo, que informa os locais e horários da relotação;

– Mesmo lotados com 40h nas escolas onde atuam, os diretores da Atempa foram relotados para cumprir as 20h da representação do associativismo em escolas diferentes, em alguns casos no mesmo turno, gerando impossibilidade de cumprir a imposição.

 

Mais notícias