Simpa participa de Audiência Pública chamada pela Cece e enfatiza urgência de medidas contra Covid nas escolas

Audiência da CECE

 

O Simpa participou, terça-feira (14) de Audiência Pública híbrida da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara de Porto Alegre, que tratou da situação da Covid-19 nas escolas municipais. Como encaminhamento final do encontro, ficou definida a realização de reunião específica relativa à Rede Municipal de Ensino (RME), entre as secretarias municipais de Saúde, de Educação, escolas e representantes da categoria para tratar das estratégias sanitárias necessárias para impedir o contágio nas escolas.

 

 

Na reunião, o Sindicato chamou a atenção da prefeitura para a necessidade de que sejam tomadas providências urgentes diante do aumento expressivo de casos notificados não apenas de Covid-19, mas também de influenza e dengue nas comunidades escolares (educadores, servidores, estudantes e familiares) da RME.  Afirmou também a contradição da medida adotada pelo governo Melo ao criar uma auditoria sobre os afastamentos por motivo de saúde, não reconhecendo a  grave situação  do aumento dos casos  que vivenciamos.

 

Audiência da CECE

 

Pelo Simpa, participaram os diretores Cindi Sandri, Luís Fernando Fraga Silva e Roselia Siviero. Também compareceram representações das secretarias municipais de Educação e de Saúde, da EMEF Porto Novo e vereadores que compõem a Cece, entre eles o proponente, vereador Jonas Reis (PT).

 

Naquele momento,  o diretor Luís Fernando, entregou documento que fora encaminhado ao COE Municipal ( Centro De Operações De Emergência em Saúde para a Educação), onde ele é representante do Simpa no qual reafirma a necessidade da reativação desse  para o monitoramento constante dos casos de Covid na rede e a articulação concreta entre os protocolos de saúde e a realidade das escolas a partir de uma ação mais efetiva da Smed, solucionando as situações existentes nas escolas com urgência.

 

Além disso, no documento, o Simpa apontou como ações essenciais, entre outras, que o COE Municipal reative os COEs locais orientando-os para acompanhar e relatar a situação de cada escola quanto aos casos de contaminação por Covid-19 e síndromes gripais entre docentes, funcionários e alunos; que seja apresentado periodicamente ao COE Municipal, pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), quadro de evolução dos casos de Covid-19 na cidade; que a Secretaria Municipal de Educação (Smed) oriente as comunidades escolares para a necessidade do uso de máscara e que as reuniões pedagógicas de alinhamento sejam por videoconferência como é recomendado pela SMS.

 

Também foi solicitado, durante a reunião, que haja capacidade, por parte da Smed, de executar os protocolos da SMS, inclusive reavaliando os critérios estabelecidos. Hoje, a SMS cria um protocolo e estabelece critérios, mas estes muitas vezes não se encaixam na realidade local e impedem a concretização por parte da escola.

 

Leia também:

Simpa pressiona por medidas contra a Covid-19 e COE Municipal é reativado

Mais notícias