Simpa continuará tomando medidas contra sindicâncias e assédio moral

assedio-site

Desde que a greve teve início, o SIMPA vem recebendo diversas denúncias de assédio moral promovido pelas chefias de várias secretarias contra servidores e servidoras que, exercendo um direito constitucionalmente garantido, resolveram parar suas atividades motivados pelo parcelamento de salários e pelos projetos de lei que afrontam sua carreira. Dentre as modalidades de assédio moral existentes, o Executivo, por meio de seu prefeito e secretários, resolveu abrir sindicâncias para apurar e punir os grevistas.

A utilização de sindicâncias e processos administrativos como forma de perseguir politicamente os integrantes do movimento paredista jamais será tolerada e receberá resposta no âmbito do Poder Judiciário, além da convocação de integrantes da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal para que possam acompanhar esta questão. Cabe destacar ainda que a categoria municipária obteve liminar, no dia 4 de outubro, que garante o direito de greve e impede o corte do ponto dos grevistas.

O SIMPA repudia esta atitude que atenta contra o direito do servidor expressar sua contrariedade e indignação com uma situação que não foi criada por ele e reafirma que seguirá tomando todas as medidas possíveis no campo legal. O Sindicato está atuando de maneira incisiva para repelir qualquer transbordamento ou extrapolação do poder disciplinar que é próprio à administração pública e que possa adentrar o terreno do assédio moral e recomenda que quaisquer denúncias sejam levadas pelos servidores ao seu conhecimento.

Mais notícias