Nota do Simpa: suspensão no atendimento no Pronto Atendimento Bom Jesus

O Simpa acaba de receber a informação de que o Pronto Atendimento da Bom Jesus corre o risco de fechar esta noite por falta de médicos devido ao término de contrato da empresa Atena, responsável pela contratação desses profissionais para a unidade. Há apenas um médico servidor público no local, o que torna inviável o atendimento emergencial.

 

A empresa que ganhou a nova concorrência, segundo relatos de servidores, não tem ainda condições de assumir o serviço. Ou seja, a partir da meia-noite, os usuários do PABJ podem ficar sem atendimento.

 

Para o Simpa, a situação é grave e atinge a comunidade de uma região já vulnerável em suas condições socioeconômicas numa questão delicada, que é a emergência em saúde. O Sindicato está acompanhando a situação a fim de tomar as providências possíveis a respeito.

 

Este é mais um dos inúmeros exemplos dos prejuízos que a terceirização pode causar no serviço público, em especial na saúde, situação que tem sido sistematicamente denunciada pelo Simpa. Casos como este, somado à perspectiva de total terceirização do PABJ e do PA da Lomba, bem como a entrega do HPS à gestão privada, demonstram a falta de compromisso da gestão municipal com a saúde da população. Saúde não é mercadoria e deve ser tratada com respeito e dignidade.

Mais notícias

Conferência defende luta popular pela democracia, pela saúde e pelo SUS

  Com o tema “Democracia e Saúde”, foi…

Confira os horários de atendimentos do plantão jurídico

                   

Marchezan utiliza medida de Bolsonaro para continuar ataques ao Simpa

Com o objetivo de aniquilar financeiramente os sindicatos combativos e…