Municipários suspendem greve e voltam ao trabalho amanhã

Em uma grande assembleia com a presença de mais de três mil pessoas, a categoria definiu hoje, 13/11, por maioria, pela suspensão da greve e a manutenção do estado de greve como forma de dar continuidade à mobilização pela retirada ou rejeição dos projetos de lei em tramitação na Câmara, pelo fim do parcelamento e contra o desconto dos dias parados.

 

Na semana passada, após muita pressão da categoria junto ao Executivo e ao Legislativo, o prefeito Nelson Marchezan (PSDB) retirou o Projeto de Emenda à Lei Orgânica 11/2017, um dos que mais impactavam na carreira dos municipários. Além disso, 22 vereadores assinaram documento se comprometendo com a rejeição dos demais projetos.

 

Na avaliação da direção do Simpa e de servidores que fizeram uso da palavra, a greve foi um movimento vitorioso, resultante da união da categoria que há meses, mas em especial, a partir da deflagração da greve no dia 5 de outubro, se mobilizou pela retirada dos projetos de lei enviados pelo Executivo à Câmara e que mudam a carreira do funcionalismo municipal, cortando os salários em até 50%, contra os parcelamentos salariais, em defesa de um serviço público de qualidade e contra as privatizações.

 

Além disso, foi definida a realização de nova assembleia no dia 30 de novembro em local e horário a serem definidos.

 

 

 

 

Mais notícias

Seminário discute o papel da educação popular na resistência aos retrocessos pós-golpe

A conjuntura pós-golpe e a educação em tempos de resistência…

Simpa enfrenta mais uma tentativa de Marchezan para desmobilizar os municipários

A direção do Simpa informa à categoria municipária que, junto…

Campanha do Simpa mostra à população vereadores que estão contra a cidade e os trabalhadores

O Simpa colocou nas ruas, há poucos dias, uma campanha…