Educação sofre novo desmonte

Informa

O governo Marchezan Júnior tem construído, ao longo da sua trajetória de gestão, uma postura arbitrária, não dialógica e de desrespeito ao funcionalismo. Em especial, neste momento, na SMED, o secretário Adriano Naves de Britto tem imposto às comunidades escolares uma relação autoritária geradora de exclusão, que desconsidera a autonomia da gestão democrática ao engessar o calendário escolar que, conforma a Lei Complementar 292, autoriza as comunidades a construírem os mesmos, embasados nos princípios norteadores da SMED.

 

Hoje (9/2), véspera de Carnaval, o governo divulga mais um samba enredo desqualificado de sua má administração, tratando a gestão de pessoal das escolas como “mercadorias” que se compra em prateleiras de supermercado. Anunciou mudanças na organização das escolas, sem dialogar com a comunidade escolar e desrespeitando os Conselhos Escolares.

 

Os trabalhadores em Educação são profissionais que pensam, atuam e constroem o cotidiano escolar, seus espaços e tempos, e merecem respeito.

 

ESTAMOS ATENTOS!

O Simpa e a Atempa vão discutir esse tema com os profissionais da Educação, mas não entrarão no embate mercantilista que o governo quer impor.

 

Colega: estaremos em breve mobilizando a nossa categoria para, juntos, continuarmos resistindo aos desmandos do prefeito e do secretário, na defesa do direito à educação pública de qualidade.

Mais notícias