Desvios na Fasc mostram a incompetência das “parceirizações”

A imprensa noticiou no dia 12/08, o rompimento de contratos, por parte da Fasc, com 11 entidades parceiras suspeitas de fraude, após uma força-tarefa organizada pela prefeitura ter detectado irregularidades.

 

O grupo foi montado há três anos e analisou mais de 22 mil prestações de contas em atraso — referentes aos períodos de 2013 a 2017. O valor gasto pela Fasc com essas entidades teria sido de mais de R$ 411 milhões.

 

Dentre os problemas descobertos estão desvios e fraudes em notas fiscais e documentos. Os casos identificados foram encaminhados para apuração do Ministério Público.

 

Falta de acompanhamento

 

Embora a Fasc se coloque como vítima das fraudes, é preciso destacar que há anos é sabido e denunciado, por servidores da assistência social e pelo Simpa, a existência de irregularidades nas parcerias e terceirizações. Os gestores da Fasc tem a responsabilidade de acompanhar sistematicamente os contratos e identificar o mau uso dos recursos públicos — mas, não o fizeram. Aliás, há indícios de que irregularidades com essas entidades foram identificadas ainda em 2018 e ainda assim elas continuaram atuando.

 

É importante salientar também que falta transparência nos contratos e nas prestações de contas, além dos governos impedirem o acompanhamento do controle social que é determinado por legislação nessa modalidade de serviço. O mesmo ocorre em todas as áreas da administração pública, tendo os gestores criado uma espécie de “caixa-preta” das terceirizações e parceirizações.

 

Cabe ressaltar que estes fatos foram agravados pelo sucateamento do serviço público promovido pela gestão Marchezan, desmontando as equipes técnicas que tinham o papel de controlar e orientar o trabalho realizado pelas entidades. Atualmente, representantes das entidades parceirizadas ocupam espaços estratégicos na gesta da Fundação, situação incompatível com a necessária fiscalização e acompanhamento dos contratos.

 

Os prejuízos das parcerias

 

Para o Simpa, esta é mais uma demonstração de como as parcerias e terceirizações são prejudiciais à população e ao serviço público. Para citar outro exemplo recente, no final de julho, reportagem do Matinal Jornalismo revelou que a entidade que geria o albergue Felipe Diel era presidida pelo filho do então secretário de Desenvolvimento Social e Esporte, Itacir Flores (MDB), responsável pela Fasc. Também foi revelado que a prefeitura dobrou o valor destinado à entidade sem que a Fasc explicasse, à reportagem, o motivo de tal aumento, visto que o número de vagas não foi ampliado. As denúncias levaram Flores a renunciar.

 

A busca pelo lucro por parte das prestadoras e a falta de transparência e controle dos gestores nos vários tipos de contratos tornam esses contratos verdadeiros mecanismos fraudulentos, levando à precarização e ao desmonte dos serviços públicos e a desvios de toda ordem, o que é especialmente cruel numa área como a assistência social, que atende as populações mais vulneráveis.

 

A gestão Marchezan, que prega e aplica as terceirizações, “parceirizações” e privatizações como supostas soluções de eficiência, está, na prática, destruindo o que pertence ao povo.

 

Na impossibilidade deste o governo mudar sua visão sobre o serviço público, o Sindicato espera ao menos que tais desvios sejam apurados pelos órgãos de controle e os responsáveis devidamente punidos.

 

Leia também:

Fasc dobra repasses a instituto presidido por filho de secretário de Marchezan

CoVID-19: terceirizada entrega abrigo a Fasc sem equipe suficiente para demanda

Em resposta a ação do Simpa, TJ-RS barra editais que terceirizariam serviços da Fasc

Mais notícias

Comitê Popular Estadual de Acompanhamento da Crise Educacional no RS aponta desigualdade como um dos elementos de piora da exclusão educacional na pandemia

O relatório geral da pesquisa “A Educação na Pandemia do…

Simpa deflagra ESTADO DE GREVE na Educação

Categoria terá nova assembleia geral dia 30/9   A Assembleia…

Servidores aprovam realização de assembleia geral extraordinária dia 25/09

A reunião ampliada do Cores Educação, ocorrida na noite desta…

AGENDA

set
30
qua
11:00 Ato Unificado em Defesa da Vida,... @HPS - Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre
Ato Unificado em Defesa da Vida,... @HPS - Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre
set 30@11:00
Ato Unificado em Defesa da Vida, da Educação e da Segurança @ HPS - Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre | Rio Grande do Sul | Brasil
Não podemos deixar que Bolsonaro acabe com os serviços públicos prestados à população. Novamente, o presidente atua para prejudicar quem mais precisa, para atacar os servidores e para entregar os serviços à iniciativa privada. Sem[...]

SIMPA TV

AÇÕES JURÍDICAS

ASSISTÊNCIA JURÍDICA

COMBATE AO ASSÉDIO