Comunidade e servidores se mobilizam em defesa do Pronto Atendimento Bom Jesus

 

Servidores, comunidade e usuários do Pronto Atendimento Bom Jesus fizeram hoje, 19/03, uma manifestação em defesa da saúde pública e do SUS, contra as privatizações propostas por Marchezan e contra as terceirizações que vêm sendo adotadas pelo prefeito e que têm encarecido e piorado a qualidade do serviço prestado à população.

 

Durante o ato, Fernando Pigatto, presidente do Conselho Nacional de Saúde declarou: “Quando assumimos os espaços de controle social é que a representação da sociedade está garantida. Não adianta, no momento da campanha, prometer participação da comunidade e, na hora de governar, agir com autoritarismo e brutalidade. É isso que prefeito está fazendo aqui. Nós precisamos atacar as causas do problema e a maior delas é a Emenda Constitucional 95, que congelou os recursos da saúde por 20 anos. Prefeito, nós queremos lutar juntos para melhorar sem privatizar, ou tem algum outro interesse por trás dessa decisão?”.

 

Representando a comunidade, Maria Inês Flores, vice-presidente da Associação Bom Jesus, destacou: “O Pronto Atendimento Bom Jesus é fruto da luta de toda comunidade da Região Leste. Temos uma associação muito organizada, o Conselho Distrital de Saúde e fomos surpreendidos, na semana passada, com a informação de que o local seria passado para a iniciativa privada. Aqui todo mundo sabe o que acontece na iniciativa privada. O PABJ nunca foi fechado, sempre se dá um jeito de atender as pessoas. Este posto atende com respeito a população. Há muitos desafios e problemas para serem resolvidos, mas não é para acabar com o serviço público”. E completou: “queremos ser respeitados e ouvidos e não queremos decisões de cima para baixo”.

 

A moradora local, Encarnación, colocou: “É triste ter que estar aqui para defender um serviço de saúde. Ele é nosso, é da região, queremos continue sendo100% público”.

 

A presidente do Conselho Municipal de Saúde, Maria Letícia Garcia, lembrou que “o povo de Porto Alegre resistiu, segurou o rojão quando o HMIPV ia ser transformado em organização social. Vamos entrar com ação de improbidade administrativa porque houve recursos devolvidos ao governo federal por não terem sido utilizados. Não vamos permitir o desmonte e privatização do SUS é nosso”.

 

O diretor-geral do Simpa, Alberto Terres, anunciou a entrega de abaixo assinado ao Ministério Público em defesa d PABJ e do SUS. “SUS é vida, é uma conquista do povo brasileiro que tem de ser mantido e aperfeiçoado constantemente e não entregue à iniciativa privada, que só visa o lucro”, disse.

Mais notícias

Luta dos municipários de Porto Alegre está na pauta da Greve Geral

A Reforma da Previdência é um ataque aos direitos de…

Marchezan continua se negando a negociar a reposição salarial

A campanha salarial de 2019 marca mais um momento de…

Vereadores e Simpa entregam representação ao MPE contra terceirizada na saúde

Em reunião ocorrida hoje, 11 de junho com procurador-geral do…