Comitê Popular Estadual de Acompanhamento da Crise Educacional no RS aponta desigualdade como um dos elementos de piora da exclusão educacional na pandemia

Captura de Tela 2020-09-25 às 18.57.08

O relatório geral da pesquisa “A Educação na Pandemia do COVID-19”, divulgado nessa sexta-feira, 25/09 apresentou os principais problemas da desigualdade no acesso à educação durante a pandemia, nas redes de ensino públicas e privada em Porto Alegre.

O relatório geral de uma pesquisa realizada pelo Comitê Popular Estadual de Acompanhamento da Crise Educacional no RS juntamente com a Associação Mães & Pais Pela Democracia, foi apresentado na manhã dessa sexta-feira, 25/09, em atividade virtual.

Com a presença das entidades que compõem o Comitê e de representações do Conselho Municipal de Assistência Social, do Conselho Tutelar de Porto Alegre e da FAMURS, as entidades divulgaram os dados consolidados de um estudo que envolveu mais de 2 mil pessoas que participaram da pesquisa respondendo um questionário online entre os dias 23 e 28 de julho.

De acordo com os dados apresentados nessa manhã, 32,7% das mães e pais autodeclarados como brancos precisam de auxílio emergencial. Quando comparados aos respondentes que se declaram pardos e negros, este número sobe respectivamente para 45% e 51%. Segundo a  Associação Mães & Pais Pela Democracia, a desigualdade racial é agudizada pelas escolhas políticas adotadas na educação em Porto Alegre.

Participaram do debate a economista do DIEESE, Anelise Manganelli e o professor doutor em Educação pela USP e pesquisador da área de Educação Infantil, Paulo Fochi. Anelise destacou que a pandemia ainda não acabou e a que “a volta às aulas é um reflexo do retorno das atividades econômicas no estado”, em uma situação de diminuição da média de testes e aumento na ocupação dos leitos de UTI, e Paulo destacou que deveria estar sendo discutido o que está acontecendo com as escolas. “A ideia de retorno que fica em polarização, como se fosse retornar em uma segunda-feira, como era antes da pandemia, é um equívoco”, criticou Paulo.

O debate está disponível na página do Comitê no Facebook e o relatório apresentado hoje será entregue a todos os órgãos públicos em nível municipal, estadual e será colocado à disposição de toda a sociedade em arquivo digital.

Mais informações podem ser obtidas com Marcelo Prado, presidente em exercício da Associação Mães & Pais Pela Democracia através do e-mail maesepaispelademocracia@gmail.com e com Daniel Momoli, do Comitê Popular Estadual de Acompanhamento da Crise Educacional no RS através do e-mail: comitepopulardeeducacao@gmail.com.

 

Fonte: Comitê Popular Estadual de Acompanhamento da Crise Educacional no RS

Mais notícias