Caminhada contra a violência pede mais segurança nas escolas

 

Após o segundo caso de agressão a uma professora, em uma semana, Simpa e Atempa se solidarizaram à comunidade escolar da EMEF Grande Oriente do RS e participaram, hoje (1/11), de uma caminhada no bairro Rubem Berta contra a violência, exigindo mais segurança nas escolas. Na noite de ontem, uma professora foi agredida pela irmã de um aluno do EJA da escola. Outro ato de violência já havia acontecido no dia 24/10, na EMEF Afonso Guerreiro Lima, quando uma professora foi agredida com socos e chutes por um aluno.

 

Para o Simpa, a violência nas escolas é resultado da ausência de um projeto pedagógico na rede municipal que contemple o diálogo entre professores e comunidade escolar e também de uma política de precarização da educação pública.

 

O Sindicato exige do governo uma campanha de valorização dos servidores públicos contra a violência, que também é institucional, e a nomeação de Guardas Municipais para atuarem na frente das escolas. Também é necessária uma assessoria pedagógica que qualifique o ensino público e concurso para professores. Hoje, faltam 600 profissionais nas escolas do município.

 

A caminhada contou com mais de 100 pessoas, que dialogaram com a comunidade local. Para o Simpa, é importante continuar a mobilização para que se resolva o problema da violência. Simpa e Atempa seguirão acompanhando a situação.

Mais notícias

Simpa propõe solução em rede para enfrentar violência nas escolas

Foto: Mariana Pires / Simpa Na…

Pais buscam saídas para fim das vagas na escola Pica-Pau Amarelo

Na contramão da necessidade de se investir mais em educação…

Municipárias aposentadas denunciam problemas da cidade na 64ª Feira do Livro

Nesta terça-feira, 13 de novembro, o Núcleo de Aposentados do…