Atos em Porto Alegre rechaçam política nefasta de Bolsonaro, Marchezan e Leite

 

Com um público estimado em mais de 20 mil pessoas, o ato em repúdio à reforma da Previdência, ao governo Bolsonaro e aos cortes na educação, convocado pelos movimentos sociais e sindicais, tomou as ruas do centro de Porto Alegre na tarde e noite desta terça-feira, 13 de agosto. A categoria municipária e o Simpa estiveram presentes, unidos aos demais manifestantes contra os ataques aos serviços públicos e aos direitos da classe trabalhadora promovidos por Marchezan, Leite e Bolsonaro.

 

Alinhados, os três governos neoliberais e privatistas têm investido contra a democracia e na entrega do patrimônio público à iniciativa privada em detrimento dos interesses da população, que segue sofrendo com o desemprego, a falta de investimentos na saúde, na educação, na assistência social e na segurança.

 

As manifestações, ocorridas em diversas cidades brasileiras, reuniram milhares de estudantes e trabalhadores do campo e da cidade. Ao passar pelo Paço Municipal, os participantes, em coro, gritaram “Fora Marchezan”.

 

Antes da manifestação ocorrida na Esquina Democrática, seguida de caminhada pelo Centro, foi realizada uma aula pública em frente ao Palácio Piratini. Centenas de pessoas se reuniram para denunciar a ofensiva do setor privado sobre educação pública e o autoritarismo do governo Bolsonaro, que vem destruindo a democracia e o Estado democrático de direito.

 

Para o Simpa, a manifestação mostrou a união de diversos setores da sociedade, a insatisfação com os três governos e a necessidade de ampliar o movimento envolvendo cada vez mais a população na defesa da democracia, dos serviços públicos e dos direitos da classe trabalhadora.

Mais notícias