A tradição não justifica o silenciamento da luta do povo negro

O Simpa manifesta apoio e solidariedade a todas as vereadoras e vereadores negros que formam a bancada negra na Câmara de Porto Alegre. Durante o ato de posse da nova legislatura, a manifestação de uma vereadora, colocando a tradição acima da defesa dos direitos humanos para defender o lamentável pensamento escravocrata gravado no Hino do Rio Grande do Sul é lamentável e preocupante. É justo e digno se recusar a cantar um hino que exalta a escravidão, que enaltece como façanha uma revolução perdida e finda com um acordo para o massacre de centenas de Lanceiros Negros.

 

Quem assume um mandato no Legislativo deve ter como primeiro dever o respeito à Constituição Federal e à democracia, mas o que vemos são representantes de uma elite que governa e legisla para si, em detrimento dos direitos humanos e sociais, em detrimento de toda a população.

 

A categoria municipária sabe a importância do Legislativo, não para obter benefícios, mas para defender o serviço público de qualidade a toda a população, condição que somente é possível com servidores públicos concursados e valorizados.

 

Exigimos o respeito às lutas sociais, somos e fazemos parte dela. Não vamos permitir a desqualificação, o “silenciamento” nem a criminalização das manifestações que reivindicam respeito aos direitos e condições dignas de vida.

 

Somamos força na luta #RespeiteOPovoNegro não por uma façanha, mas para que a sociedade resgate sua dívida social e coloque um fim à exploração e à escravidão em toda a terra.

 

Simpa

Mais notícias

Simpa, Cores FASC e População em Situação de Rua lançam Campanha em Defesa do Abrigo Marlene

Em 2020, o Abrigo Marlene, que faz parte da Política…

Terceirização/privatização é exploração!

Nesta semana, Porto Alegre teve mais uma demonstração de como…

Simpa lança campanha MELO NÃO PRIVATIZE O DMAE

Começou no dia 21/01 a campanha publicitária do Simpa, nas…