GT de História e Marxismo/RS e Coletivo de Professores de História de Porto Alegre promovem com apoio do SIMPA evento sobre o golpe de 1964 e as Diretas Já

  

 

Inscrições podem ser feitas online até a data do evento

 

O ano de 2024 marca os 60 anos do Golpe de 1964 e também os 40 anos das Diretas Já. Antes, o aniversário de início de uma ditadura empresarial-militar que durou 21 anos. Depois, ao fim dessas duas décadas, um processo que colocou diversos movimentos populares lado a lado para cobrar a realização de eleições diretas. Para a coordenadora do GT História e Marxismo, Josiane Mozer, é importante demarcar esse intervalo: “As disputas em torno da ditadura, os revisionismos, não ocorrem só no campo da política governamental, mas também no campo historiográfico. Atenuar a ditadura brasileira diminui o peso da mobilização popular que culminou no movimento das Diretas Já. Para isso, é preciso marcar posição e zelar por uma historiografia comprometida com a crítica e com as lutas populares”.

 

Nesse sentido, a seção gaúcha do GT História e Marxismo da ANPUH e o Coletivo de Professoras e Professores de História da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre – CPHIS – se unem para realizar o seminário “60 anos do Golpe de 1964, 40 anos das Diretas Já”, com o apoio do Simpa. Para o diretor César Rolim (professor da RME e integrante do CPHIS), “é necessário lembrar, de uma maneira crítica, da ditadura para que nunca mais aconteça e para que não haja impunidade para os crimes cometidos no período”. A atividade ocorre entre os dias 26 e 27 de abril, no auditório do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul (R. Sete de Setembro, 1020 – Centro Histórico, Porto Alegre). Inscrições para apresentadores estão abertas até a próxima quarta-feira, 24/04. Ouvintes podem se inscrever até o dia 27. Ambos receberão certificação pela participação.

 

As inscrições podem ser realizadas por meio do formulário disponível em https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc78dEJdHRen4veP3PfX4Medfgqj adGNxOkvQoNb9z8-WCxRA/viewform.

 

Mais informações estão disponíveis no Instagram do GT, @gt_historiaemarxismo_rs. Dúvidas também podem ser enviadas para o e-mail do GT, gthistmarxrs@gmail.com

 

Na noite de 26 de abril, às 19h, um debate reunirá os professores pesquisadores Carla Rodeghero (UFRGS), Graciela Bonassa Garcia (UFRRJ) e Nilo Piana de Castro (Colégio de Aplicação – UFRGS) a fim de analisar a Ditadura Empresarial – Militar e refletir sobre suas consequências no tempo presente.

 

Na manhã do sábado, dia 27 de abril, o seminário segue entre às 8h30 e às 12h30. Das 8h30 às 10h30, ocorrem duas oficinas. Uma delas fica a cargo da Professora Regina Xavier (UFRGS), que integra o Coletivo Memória e Luta. A ministrante vai explorar as estratégias utilizadas pelo Coletivo para reparar atos da ditadura dentro da UFRGS, como os expurgos de professores.

 

Outra oficina será ministrada pela Diretora do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, a Historiadora Ananda Simões Fernandes. Ananda vai abordar a importância e as possibilidades do Arquivo para pesquisas sobre a ditadura. Cada oficina terá uma hora de duração. Para participar, basta se inscrever no evento na modalidade ouvinte.

 

No fim da manhã, entre às 10h30 e às 12h30, pesquisadores em ensino, pesquisa e extensão, da Educação Básica à Universidade, são convidados a compartilhar suas experiências em assuntos relativos à temática geral do evento. Para participar nessa etapa, é necessário se inscrever na modalidade apresentação.

 

O seminário conta com o apoio do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul; a Associação Brasileira de Ensino de História; a Assufrgs – Sindicato dos Técnico Administrativos da UFRGS, UFCSPA e IFRS; a Coalizão 1964-2024 – Ditadura: Memória, Verdade, Justiça e Reparação, Não repetição; o Coletivo Memória e Luta; o Grupo de Pesquisa Aula Inacabada; o LHISTE/UFRGS – Laboratório de Ensino de História e Educação; o Projeto PoAncestral; e o Simpa – Sindicato dos Municipários de Porto Alegre.

 

Tags: municipários, poa, Porto alegre, serviçopúblico, Servidores, simpa, sindicato

Mais notícias

PRESIDENTE DA FASC CRISTIANO RORATTO NÃO CHAMA APROVADAS/OS EM CONCURSO, MAS QUER GASTAR 11 MILHÕES EM CONTRATO EMERGENCIAL

O quadro de servidoras e servidores da FASC vem sendo…

DESAGRAVO DO SIMPA: manifestações do prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo na imprensa

O Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) vem a…

REUNIAO DO CORES GERAL SIMPA

É AMANHÃ❗ ️ REUNIÃO DO CORES GERAL SIMPA 28/5 [terça-feira]…